Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \06\UTC 2009

Levas

Galera,

Após um 2008 de algumas descobertas e de mais estímulos para nós em relação ao universo que vivemos, venho desejar a todos um 2009 repleto de muitos sambas, canas e papos. Que neste ano consigamos começar projetos, continuar os que deram certo, ignorar os que não deram, e, quem sabe resgatar os que não deram não por conta deles, mas sim, por nossa.

Saúde, paz, e sucesso para todos nós compartilharmos tudo isso neste ano!

A primeira leva, são algumas músicas para nossa querida Portela. Todas cantadas no saudoso samba do ouvidor. Atenção para a faixa “Vem pra Portela”, que, se não me engano é uma gravação a varanda nosso grande mestre: Antônio Candeia Filho.

Vem pra Portela ( Candeia/ Coringa )

Portela Você Me Trouxe a Paz (César Saraiva, Manacéa)

Minha vontade (Chatim)

Minha Querida ( ? )

Alvorada na Portela ( ? )

Baixe Aqui

Falando em samba do ouvidor, vai o texto do rato Leandro que não foi postado devido ao recesso.


SAMBA DA OUVIDOR

Todos os pontos de vista em torno de um só ponto. Ponto que gera interesse e desconhecimento para muitos e, no entanto, ainda sim traz a curiosidade do saber. Talvez pela cadência, pela letra, pelo tamborim, pelo jovem e ao mesmo tempo centenário violão, mas também com certeza por uma voz com grandes definições, a melhor dita foi “acalantuosa”.
Samba do Ouvidor.

Sambas com várias idades numa mistura de décadas a qual ajuda a formar um ambiente impar. Lugar onde se bebe a melhor cerveja escutando os melhores compositores. Tudo está no seu devido lugar. Quem passa pela Rua do Ouvidor sábado a tarde parece estar estrelando algum filme nacional ou fazendo parte de alguma tela sobre a grande cultura brasileira.
Por lá nada é por acaso.

A cada samba um suspiro. Ouvindo Candeia não resisti à Folha Seca. O homenageado daquele dia praticamente “me empurrou” com sua música para dentro da livraria, que se encontrava a beira da roda de samba, apresentando-me sua traduzida biografia a qual não resisti. Traduzida sim, pois sem tirar o mérito do professor João Batista, penso que Candeia já havia escrito essa obra durante sua vida.

Evento que não cabe na rua pela multidão que evoca e pela sabedoria que transborda. Música pra pensar, pra entender, pra questionar e pesquisar. Fonte de pesquisa e geradora de dúvida. Samba de massa, mas pra quem gosta de samba. Popular nem a cerveja. Desconhecida até pra bom bebedor. Samba que pulsa sem alterar a pressão. Faz valer que o simples é muito bonito.

Salve nossos compositores, salve nossa cultura e nossa música, salve nosso calor e nossa cerveja. Salve o Samba do Ouvidor.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: